sábado, 5 de agosto de 2017

59. A realidade de emprego e empreendedorismo em Portugal sob o meu ponto de vista

Olá leitores,

Hoje irei falar de um tema que não agrada a todos, mas que ainda assim pode orientar aqueles que desejam saber mais em relação ao assunto EMPREGO e EMPREENDEDORISMO. Lembrando que este é MEU PONTO DE VISTA, baseado em experiências pessoais e observações de experências de amigos que também vieram para cá.

A questão de emprego/empreendedorismo em Portugal deve ser considerada em um primeiro momento sob três pontos básicos:

1 - Portugal tem uma população muito menor que a do Brasil e a população de 10.200.000 habitantes tem 20% de idosos. O Brasil por outro lado tem incríveis 206.000.0000 de habitantes

2 - O dinheiro não circula. O fato é que como existem muitos idosos e trabalhadores que ganham mensalmente menos de 600 euros por mês - 30% dos trabalhadores ativos ganham isso - então com um salário de menos de 600 euros, o consumo fica extremamente prejudicado e este é um ponto a ser observado principalmente por empreendedores que querem explorar o mercado local

3 - A cultura menos consumista e o bairrismo também dificultam tanto o emprego quanto o empreendedorismo se este depender do mercado interno português.
Entendam que diferente do Brasil, os produtos que os portugueses não conhecem, geralmente eles não arriscam em gastar. Preferem sim manter o tradicional como gasto do que arriscar com alguma novidade não conhecida. Um exemplo clássico são os restaurantes italianos: na Alemanha por exemplo existem restaurantes italianos em qualquer cidade, mesmo nas pequenas. Em Portugal, isto não funciona e eles não arriscam os pratos internacionais por bairrismo e também por não conhecimento dos mesmos. O pensamento é: Para que é que vou gastar numa comida que não conheço, se o "bacalhau" é um prato que dá certo no meu quotidiano?

Bom, sei que muitos devem estar pensando: Ah, mas eu começo de baixo e vou subindo o degrau com o passar do tempo. Para estes eu digo: A sociedade portuguesa não é consumista e o emprego é escasso, o mais provável é de que vais continuar no emprego "de baixo" para o resto da vida. Entendam que isto não é uma critica e sim apenas uma referência de como as coisas realmente são, ou que pelo menos eu observei. O português é acostumado com esta vida e os que aqui não conseguem emprego, emigram. E outra referência sobre estes emigrantes: eles não vivem confortáveis como um "american dream" que costumamos ver nos filmes. Na verdade o emigrante português  em sua grande maioria, também vive mal no país onde reside. Se este for jovem, divide a casa ou apartamento com outras 2 ou 3 pessoas. Se for uma família, mora em uma moradia simples e pequena. Mas o fato é de que todos eles poupam tudo o que ganham, para tentar na aposentadoria ou reforma(pt-pt) ter um pouco de conforto.

Mas e se eu empreender? 
Se empreenderes para depender do mercado daqui, o mais provável é de que entre em 3 ramos: restaurantes e padarias (restauração em pt-pt), construção civil/imobiliária ou ainda assessoria ao turismo/serviços (nota-se a grande quantidade de assessoria para imigração no momento). Nos dois primeiros, o bairrismo e a falta de consumidores irá afetar diretamente o teu negócio e se tiveres sorte conseguirá uma média de pro-labore de 800 a 1300 euros mês. No terceiro, dependerás muito da oscilação deste mercado que hoje está em alta e alguns anos atrás estava mal.

Ah, mas eu tenho formação superior e falo inglês fluente.
Esta é uma coisa que poderá te ajudar a conseguir emprego em uma atividade turística e também em canais de atendimento ao consumidor via telefone (muito famoso o emprego da netflix em Lisboa). Mas temos que entender que nossa formação foi feita no Brasil e mesmo reconhecendo a mesma (o que é muitas vezes complicado) o estudo de nada adianta se os próprios empregadores não te consideram um trabalhador capaz por não ter formação portuguesa ao qual eles consideram melhor  que a brasileira(bairrismo). O inglês é outro ponto que pode te trazer dor de cabeça, pois o português acha que o inglês do brasileiro é ruim e mesmo que tenhas certificação CAMBRIDGE como eu tenho, na hora do emprego isto não contará muito. Outro ponto que deve ser repensado é de que muitos jovens portugueses também tem formação superior e trabalham em cafés, pizzarias, como agentes imobiliários e em todos os empregos considerados de "start" ou "quebra-galho". Aprenda mais de uma língua além do inglês pois aí começa a ganhar valor, pois começa a ter diferenciação perante outros candidatos. Lembre-se que por mais que tenhamos ótima experiência profissional no Brasil (congressos, multinacionais, viagens), o mais certo a acontecer (e até por falta de conhecimento dos portugueses) é que aquilo que eles lêem no teu currículo seria igual a um papel em branco, pois não entenderão bulhufas pois é fora do quotidiano deles. 

Mas então o que fazer e como me preparar?
Na minha opinião, Portugal é um país excelente para morar e para usufruir da infraestrutura, qualidade de vida e segurança, mas o fato é de que não podemos depender dele se quisermos alcançar vôos mais altos. 
Portugal é bom para uma montar uma base de negócios, lidar com o mercado europeu e internacional ou até mesmo para conseguir emprego remotamente(TI, Internet) de empresas européias ou norte americanas.
A internet e os serviços básicos são de extrema qualidade. Nunca faltou internet e o sinal nunca caiu tanto na internet móvel quanto na fixa. Nunca me faltou eletricidade também.

Outra lição importante é: prepare-se para viver num planejamento financeiro constante, não sejas consumista e aprenderá a viver como eles vivem. EM PORTUGAL, NÃO EXISTEM SUPER SALÁRIOS e NEM A SEGURANÇA DO FUNCIONALISMO PÚBLICO, ninguém ganha muito e também ninguém vive na miséria extrema. Esqueça salário de 10000, 20000, 30000 euros como alguns Juízes, Promotores, Médicos ou funcionários públicos ganham no Brasil - ESSA NÃO É A REALIDADE PORTUGUESA.

Muita gente se frustra com esta diferença cultural e de consumo. Pensemos no seguinte exemplo: Um libanês, abre na sua cidade uma padaria e coloca muitos doces diferentes e pães libaneses para a venda. O mais certo é de que iremos experimentar estes doces e pães, porque somos curiosos, abertos a novidades e sobretudo consumistas, além de contarmos com um gigante mercado consumidor. Esta realidade não se aplica a Portugal. A mesma situação seria vista aqui: Para que vou comprar este raio de pão se o pastel de Belém do Manuel é garantido??

Pensemos numa situação de emprego que já aconteceu comigo: Sou formado em dois cursos superiores, tenho certificação Cambridge(EN) e Goethe(DE), além de todas as devidas comprovações profissionais e salariais que tinha no Brasil. Concorri em diversas vagas de emprego, na maioria dela não passei da primeira fase e quando passava era para empregos mais simples. Evidentemente após muito pesar, vi que toda a experiência e estudo que tive no Brasil, não serviram para a questão de emprego e sim para a questão de auto-reflexão e nos meios para encontrar meu próprio caminho.

Sinto que as pessoas focam muito no imigrar LEGALMENTE e esquecem do FINANCEIRAMENTE. De nada adianta o primeiro se o segundo não for planejado e ter uma base sólida. Isto não afeta logicamente os aposentados, e considero que eles são sim o público que mais tem condições de viver bem em Portugal, pois não dependem de trabalhar para o próprio sustento.

10 comentários:

  1. Ola
    Gostaria de saber de uma drogaria claro em municipio de viseu na cidade de castanheiras, minha filha esta querendo morar em portugal e a familia de meu pai minha avó e de castanheiras gostaria de entrar em contato com eles

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Olá Cristina,

      Obrigado pelo contato! Montar uma farmácia exige algumas licenças extras e o custo poderá ultrapassar os 1000 euros mensais facilmente. Qualquer coisa estou à disposição.

      Excluir
  3. Descobri seu blog por acaso porque talvez iremos morar em Viseu e gostaria de te parabenizar por fazer um blog com um conteúdo tão bom, elucidativo e muito realista. Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada pelos comentários. Ajudou bastante. Bjss

    ResponderExcluir
  5. Obrigada pelos comentários. Ajudou bastante. Bjss

    ResponderExcluir
  6. Olá, um contato do grupo de Viseu (face) me indicou seu blog. Estou lendo todas as matérias e, como esta, nos ajudam a refletir e reforça que o planejamento é fundamental. Parabéns por voce compartilhar as suas experiências.

    ResponderExcluir